Mulheres são maioria no governo socialista da Espanha

Publicado em 6 junho, 2018

Diferente do que ocorreu com o golpe no Brasil, em que Michel Temer formou um governo branco e machista, na Espanha o socialista Pedro Sánchez surpreendeu o mundo ao apostar nas mulheres. De 17 ministérios, onze serão comandados por mulheres.

Elas estão nas mais estratégicas pastas. A saber: Nádia Calviño Santamaría, no Ministério de Economia e Empresa; Margarita Robles Fernández, para a Defesa; e María Jesús Montero Cuadrado, para chefiar a Fazenda.

O “lulista” Pedro Sánchez, socialista, ateu, anunciou um governo majoritariamente feminino na Espanha. Ele decidiu na cerimônia de posse, no último sábado, não fazer o tradicional juramento sobre a Bíblia Sagrada.

No golpe de 2016, Temer nomeou só homens para o núcleo duro do governo. Nenhuma mulher.

No governo Dilma Rousseff, então deposto, duas mulheres estiveram no núcleo duro do primeiro mandato (Gleisi Hoffmann, na Casa Civil e Ideli Salvatti nas Relações Institucionais).

No fim do governo da petista quatro mulheres eram titulares de ministérios: Kátia Abreu (Agricultura), Tereza Campello (Desenvolvimento Social), Nilma Lino Gomes (Direitos Humanos) e Izabella Teixeira (Meio Ambiente).