Folha defende corte de impostos para garantir lucros de sócios gringos da Petrobras

O pior cego é aquele que não quer ver, diz o velho ditado. E é verdade. Veja o caso do Congresso Nacional que, segundo a Folha, não vê espaço para União reduzir o preço dos combustíveis. Ora bolas, carambolas.

LEIA TAMBÉM
Requião: “Redução de impostos e privatização são o mantra dos novos bárbaros”

Em tom de crítica, o jornalão paulistano afirma que o comando do Congresso não vislumbra um cenário de queda de preços de gasolina, etanol e gás de cozinha. É claro que a Folha se refere a tirar do orçamento público (de todos nós) para garantir o lucro do sócio privado (acionista estrangeiro) da Petrobras. Ou seja, a mesma criminosa política de reajustes da estatal que fulminou Pedro Parente.

A mídia e alguns políticos querem tirar dos impostos – saúde, educação, assistência social, previdência, etc. – para manter a mamata dos especuladores na Petrobras.

“Em Brasília, o litro da gasolina é vendido à população por aproximadamente R$ 5 nos postos. O botijão de gás chega a R$ 80”, registra o jornal dos Frias. Porém, esses aumentos nada tem a ver com impostos.

O diabo é que os preços dos combustíveis continuarão a subir se continuarem atrelados à variação do dólar e à cotação internacional do petróleo. Não há salvação no âmbito do livre mercado e do neoliberalismo, portanto. É só caixão.

Resumo da ópera: eles [mídia e Congresso] só querem o petróleo dos brasileiros, sem impostos!