E agora Meirelles, que fazer com 82% de reprovação de Temer?

Com 1% nas intenções de voto, Henrique Meirelles (MDB) tem uma bananosa para resolver: que fazer com 82% de reprovação de Michel Temer, seu parceiro na destruição do Brasil durante o golpe.

Pesquisa divulgada neste domingo (10) revelou que esses 92% que reprovam Temer também não votariam em um candidato indicado por ele, qual seja, Meirelles.

Ainda de acordo com o instituto, apenas 3% aprovam Temer.

Para piorar a situação da dupla que desgraçou o país — Meirelles e Temer — o “Plano B” deles, o PSDB, não atingiu dois dígitos no levantamento. O ex-governador Geraldo Alckmin tem sofríveis 7%.

O diabo é que esse pífio desempenho terá efeito rebote nas candidaturas regionais de deputados, senadores e governadores emedebistas. Se o partido se abraçar com Meirelles, afunda junto; se declarar amor aos tucanos, morrem juntos.

As saídas para que o MDB sobreviva a esse desastre são dois: ou lançar outra candidatura de ruptura ao modelo neoliberal ou não apoiar nenhuma candidatura na eleição de outubro.

O fato concreto é que tanto Meirelles quanto Temer são sinônimos de “caixão” para as lideranças da agremiação em todo o país.

Comentários encerrados.