Ciro Gomes promete, se eleito, revogar reforma trabalhista

O presidenciável Ciro Gomes (PDT) prometeu nesta terça (12), em debate na Força Sindical, se eleito, revogar a reforma trabalhista aprovada em novembro de 2017.

“Essa reforma trabalhista é uma selvageria. E deve ser revogada pura e simplesmente”, disse.

Para Ciro, “é preciso proteger o trabalho porque o trabalho é a parte mais vulnerável na relação com o capital. Portanto, o estado tem de intermediar esse conflito eterno, de maneira a proteger a parte mais frágil”.

No debate com os trabalhadores ligados à Força Sindical, Ciro Gomes desancou Fernando Henrique e Michel Temer — que criaram a reforma trabalhista:

, “é preciso entender porque esta nova lei trabalhista é uma selvageria: porque tem razões processuais absolutamente equivocadas. Essa reforma foi proposta pelo Fernando Henrique em 1993. Era tão ruim que ficou na gaveta mofando, depois de passar nas comissões da Câmara. Pegaram aquela reforma como se ainda fosse atual e passaram na Câmara, passaram pelo Senado. O Senado repugnou a reforma, os senadores entenderam que não dava para votar, mas se fizessem mudanças teria de voltar para a Câmara. Fizeram uma mirabolância à brasileira. O Senado disse: vamos votar o que não dá para votar, se o presidente da República aceitar vetar três artigos. O presidente fez uma carta e assinou, se comprometendo a vetar, mas não cumpriu o acordo. Qualquer juiz do trabalho pode fazê-lo alegando a nulidade do processo”.

O candidato do PDT criticou o trabalho intermitente – 580 mil trabalhos formais substituídos por intermitentes –, e os funcionários não conseguem pagar a contribuição previdenciária com seus ganhos. E outros 1.400 mil trabalhadores se evadiram da Previdência.

Comentários encerrados.