Por Redacao

Bancada do PT mobilizada contra autonomia do Banco Central

Publicado em 11/06/2018

O líder da Bancada do PT na Câmara, deputado Paulo Lula Pimenta(PT-RS), afirmou nesta segunda-feira (11) que a bancada do partido na Casa vai trabalhar contra todos os projetos defendidos pelo governo ilegítimo de Temer e que constam na agenda de votação da Câmara dos Deputados.

Durante coletiva à imprensa, Pimenta centrou as críticas principalmente na proposta de autonomia do Banco Central e na que libera a participação de capital estrangeiro na aviação nacional (PL 2.724/15).

“Esse governo não tem legitimidade e não tem autoridade para tratar de nenhum assunto que tenha relevância e importância para o País. Como é que um presidente com 3% de popularidade, que assumiu o poder fruto de um golpe parlamentar-jurídico-midiático, cujo principal personagem – Eduardo Cunha – está na cadeia, pode ter legitimidade ou autoridade para propor algo como uma mudança estratégica da relação do País com o Banco Central? Esse projeto [autonomia do BC] é um escândalo porque retira do presidente o direito de indicar o presidente do Banco Central, para que ele aplique as políticas de interesse da população”, explicou Pimenta.

O líder da bancada petista também ressaltou que um “impostor [Temer], que mais dia menos dia deveria se juntar a Geddel [Vieira Lima], Henrique Eduardo Alves e Eduardo Cunha, não deveria ter a coragem de propor um projeto que abre 100% do capital da aviação nacional para empresas estrangeiras”.

“É evidente que nós vamos ser contra esses projetos, não só porque não reconhecemos a legitimidade e autoridade desse governo como somos contra o mérito desses projetos. De parte da nossa bancada não há qualquer disposição em colaborar com essa agenda antinacional e anti-soberana que tem caracterizado as ações desse governo”, acusou Pimenta.

O parlamentar destacou ainda que ao trabalhar contra a votação dessas matérias de interesse do governo, a bancada também protesta contra o momento de instabilidade democrática pelo qual passa o País, “onde a principal liderança popular se encontra há mais de 60 dias detido de maneira ilegal em Curitiba (PR) ”.