Requião Filho: Governo Richa só fez mal ao Paraná

Compartilhe agora!

O deputado Requião Filho (MDB) fez um balanço comparativo das principais áreas nos governos Roberto Requião (2003-2010) e Beto Richa (2011-2018) e chegou à conclusão de que o tucano só fez mal ao Paraná.

Uma sabatina e muitas comparações

Requião Filho*

Para quem tem acompanhado as entrevistas de pré-campanha realizadas pelos veículos de comunicação, certamente deve estar se perguntando por que o Paraná está do jeito que está se tem tantos “santos”, com discursos diferentes do que realmente esses figurões fizeram quando estiveram no poder.

Tomei a liberdade de juntar com minha assessoria, um pouco dessas comparações, somente entre os ex-governadores Requião e Beto Richa. Até porque, Richa “chamou no probleminha” o Senador Roberto Requião e o intimou para um debate, para comparar os resultados das duas gestões. Porém essa ideia fantasiosa de Beto Richa, que tem seu nome envolvido em várias investigações de corrupção, pode se tornar um baita tiro no pé.

Somente numa breve comparação, entre os dois últimos mandatos de Requião (2003 – 2010) com os de Beto (2011 – 2018) revela que o tucano fez um governo extremamente inferior ao de Requião.

Em um dos tópicos mais importantes à população, que é a geração de empregos, Requião dá uma surra em Beto! De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho, entre 2003 e 2010, foram criados 696.954 empregos com carteira assinada no Paraná. Já no período de governo de Beto Richa, foram criados apenas a metade: 381.214 novos postos de emprego.

Para piorar a situação de Beto, em seu período de Governo, o Paraná viu a geração de empregos atingirem números vergonhosos com a perda de 76.196 postos de trabalho. Só em 2016, foram 59.828 empregos a menos, numa realidade que jamais ocorreu no Governo Requião.

Requião leva vantagem também na economia. De acordo com o Ipardes, ao longo do governo de Requião, o Paraná acumulou um saldo na balança comercial de US$ 24.428.047, enquanto o Governo Richa chegou a apenas US$ 14.907.136. Nesse quesito, a gestão Richa mais uma vez teve índices negativos. Em 2011, o saldo da balança comercial paranaense foi de – 1.373.487 dólares. No ano seguinte mais uma vez negativo: -1.678.203 dólares. Em 2013, novamente abaixo da expectativa: – 1.106.236 dólares, assim como em 2014: – 963.693 dólares.

Esses dados revelam que a economia paranaense regrediu de forma violenta no mandato de Beto Richa. Significa dizer que, em todo o primeiro mandato de Richa, uma enorme quantidade de dinheiro deixou de circular no Paraná.

A indústria paranaense também foi vítima da má gestão de Richa no Governo do Paraná. Segundo a Pesquisa Conjuntural da Indústria, produzido pela Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), de 2006 a 2010 (segundo mandato de Requião), apenas em 2009 a Indústria do Paraná teve queda nas vendas. Já nos quase oito anos de mandato de Beto Richa, as vendas da indústria só se mantiveram no positivo nos primeiros quatro anos. De 2014 a 2017 representaram apenas prejuízos.

Os índices da indústria, compostos pelas vendas realizadas dentro do Paraná para outros Estados e para outros países, estão abaixo:

2006: 6,61%

2007: 10,27%

2008: 8,82%

2009: – 5,77%

2010: 7,87%

2011: 5,80%

2012: 2,27%

2013: 0,98%

2014: – 6,30%

2015: – 8,44%

2016: -7,40%

2017: – 2,16%

Os números da economia mostram bem a diferença entre as duas gestões, com larga vantagem para o período Requião, quando o PIB paranaense chegou a representar 6,4% do PIB nacional. No governo Richa esse índice também ficou abaixo de Requião, chegando a no máximo a 6,3%.

Por fim, na área de segurança os números são alarmantes!

Desde 2007, a Secretaria de Segurança Pública do Paraná (Sesp) produz o Relatório Estatístico Criminal e a realidade é assustadora.

Entre 2007 e 2010, no segundo mandato de Requião, foram cometidos 532.179 crimes contra a pessoa no Paraná. No governo de Beto Richa esse número chega perto de 2 milhões de crimes.

Os casos de crimes contra o patrimônio saltaram de 777.211, no governo Requião, para 2.159.727 no de Beto Richa.

Crimes contra a administração pública foram 21.758 no último mandato de Requião e 159.184 no governo Richa.

Para que não haja chiadeira da militância tucana, nem do ex-governador e seus assessores, podemos desmembrar esses números para comparar mais fielmente, já que o relatório começou a ser produzido em 2007, excluindo o primeiro mandato de Requião.

De 2011 a 2014, no primeiro mandato de Beto, foram cometidos 994.566 crimes contra a pessoa. De 2015 a 2017, mais de 721 mil.

Nos crimes contra o patrimônio, entre 2011 e 2014 foram 1.160.272. De 2015 a 2017 foram outros 999.455.

E por fim, crimes contra a administração pública de 2011 a 2014, quase 82 mil. E de 2015 a 2017, mais de 77 mil.

*Requião Filho é deputado estadual pelo MDB do Paraná.

Compartilhe agora!