Por Esmael Morais

PT estuda convocar Sérgio Moro para explicar no Congresso relações com Estados Unidos

Publicado em 16/05/2018

Considerado herói nos Estados Unidos, onde recebeu o prêmio “Pessoa do Ano”, o juiz Sérgio Moro minimizou a polêmica foto que tirou ao lado do ex-prefeito de São Paulo, João Doria, numa balada na noite de ontem (15) em Nova Iorque. Ele considerou uma “bobagem” as cobranças porque estaria num evento social.

“Estou num evento social e tiro uma foto, isso não significa nada. É uma bobagem isso”, disse o magistrado que ainda afirmou não se arrepender ‘nem um minuto’ de aceitar o convite para o jantar organizado por Doria, que é candidato ao governo de São Paulo.

Quanto ao prêmio — “Pessoa do Ano” — soa fake porque o ano de 2018 sequer chegou ao meio. Seria mais verossímil se fosse realizado por volta de dezembro…

À revista Crusoé, Moro afirmou há duas semanas que tinha se “arrependido” pela foto ao lado do senador Aécio Neves (PSDB-MG) durante evento da IstoÉ. Segundo ele, aquele “foi um momento ruim” porque “deu uma impressão errada”, “gerou uma impressão que não era verdadeira”. Agora, em relação a Doria, o juiz sustenta que não se arrepende ‘nem um minuto’ de participar do regabofe foi promovido pela organização lobista Lide cujo expoente principal é o tucano.

A Lide Global é uma organização de lobby privada criada pelo ex-prefeito, que, até agora, foi sustentada com repasses de governos do PSDB e, recentemente, pelo governo golpista de Michel Temer. Em abril de 2017, por exemplo, o “16º Fórum Empresarial Foz do Iguaçu”, também promovido pela entidade, foi patrocinada pela estatal Itaipu Binacional.

Em Nova Iorque, o “juiz que prendeu Lula” participou de encontros organizados por bancos, centros de estudos e grupos empresariais, agenda previamente organizada pela Lide do tucano João Doria.

Embora Sérgio Moro considere uma “bobagem” sua nababesca balada com lobistas, o PT vê gravidade na relação com os tucanos a ponto de comprometer a suposta “imparcialidade” do juiz. A presidenta nacional da legenda, senadora Gleisi Hoffmann, porta-voz de Lula, declarou que a foto com Doria seria mais uma prova inequívoca de que o magistrado da lava jato tem lado [dos tucanos] e que a justiça é “seletiva e parcial” no país.

Os petistas não descartam fazer uma convocação para que Sérgio Moro explique sua relação umbilical com os Estados Unidos, onde, frequentemente, o titular da lava jato recebe premiações. Também entrou no radar do PT esses eventos nababescos promovidos pela lobista Lide Global.