Parcelamento de gasolina desnuda tragédia do governo Temer

A “facilitação” para o abastecimento de gasolina em até 6 vezes no cartão de crédito, caro leitor, desnuda a tragédia que o governo Michel Temer está sendo para os brasileiros. Mas isto não significa, em hipótese alguma, que já chegamos ao fundo do poço. O buraco do golpe é muito mais embaixo.

A greve dos caminhoneiros prevista para esta segunda-feira (21), contra o aumento do diesel, é um capítulo à parte da qual já tratamos aqui e ainda voltaremos a falar nas próximas horas.

Dito isto, nunca antes na história deste país se parcelou o combustível no cartão de crédito. Tal ineditismo pode dar a dimensão exata – ou quase – do tamanho da crise criada pelo golpe de Michel Temer responsável por 27,7 milhões desempregados (dados do IBGE).

Mas o pior ainda está por vir, segundo os profetas de plantão. Além do parcelamento do combustível, os brasileiros também já começaram a parcelar a compra de alimentos da cesta básica. O diabo é que a taxa de juros, para quem atrasar o pagamento, fechou em 334,6% ao ano no mês de dezembro de 2017. Um verdadeiro assalto, portanto, que beneficia somente os bancos privados.

Moral da história: Michel Temer governa para os bancos e somente para os bancos.