“Operação Limpol” mira tucanos no governo do Paraná

A “Operação Limpol” continua no governo do Paraná cujos alvos principais da faxina da governadora Cida Borghetti (PP) são tucanos ligados ao ex-governador Beto Richa.

Ao menos cinco tucanos de alta plumagem entraram no radar da “Operação Limpol”. A saber: Fábio Delazen (diretor da Copel); Fernando Ghignone (secretário de Administração) Juraci Barbosa (secretário de Planejamento); e a ex-primeira-dama Fernanda Richa (secretária da Família).

Os motivos da nova “vassourada” de Cida teriam relação com novos áudios comprometedores, a demissão de Ezequias Moreira (Cerimonial) e ainda a investigação de correligionários de Richa pelas operações lava jato (propina da Odebrecht) e Quadro Negro (desvio de verbas da educação).

De acordo com uma fonte no Palácio Iguaçu, a “limpeza” na Sanepar — companhia de água e esgoto — foi realizada com desinfetante. “A Operação Limpol está apenas começando”, disse o palaciano.

“Não aceitarei desvio de conduta de nenhum membro do governo”, disse a governadora Cida Borghetti durante criação, na semana passada, da Divisão de Combate à Corrupção no Governo do Paraná.

Comentários encerrados.