No ABC, greve na Mercedes-Benz contra o arrocho e o desemprego continua

Assembleia de aprovação de greve na Mercedes.  Foto: Adonis Guerra/SMABC

Greve entra em seu segundo dia. Sindicato dos Metalúrgicos do ABC e montadora debatem itens como reajuste salarial e PLR. Greve também se choca com a reforma trabalhista do governo golpista de Temer. Sem avanço nas negociações, os trabalhadores na Mercedes-Benz de São Bernardo do Campo decidiram continuar a greve, que nesta terça-feira (15) entrou no segundo dia.

A negociação tem mais impasses. O sindicato não aceita demissões de mensalistas (setor administrativo), que a montadora estaria planejando, porque há um momento de retomada da produção.

Os metalúrgicos querem ainda incluir um item no acordo coletivo de “salvaguarda” contra a Lei 13.467, de “reforma” trabalhista, para garantir que qualquer mudança tenha de passar por negociação prévia. E eles não aceitam a exclusão de uma cláusula sobre estabilidade de trabalhador acidentado.

Comentários encerrados.