Greve dos petroleiros vai emendar à greve dos caminhoneiros

Apesar de a Globo e o governo Michel Temer jurarem que “a greve acabou” desde a última sexta-feira, a verdade factual desmente ambos. A paralisação dos caminhoneiros continua em todo o país e, partir de amanhã (30), ela se somará à greve dos petroleiros nas refinarias.

LEIA TAMBÉM
Globo abre guerra contra caminhoneiros
A soma dos dois movimentos paredistas — caminhoneiros mais petroleiros — amplifica a pressão sobre Temer para que mude a política de reajuste de preços dos combustíveis que, desde outubro de 2016, atrela os aumentos à variação cambial e à cotação internacional do petróleo.

Inteligentemente, os petroleiros miraram na redução do diesel, da gasolina e do gás de cozinha. Subsidiariamente, os grevistas pedem a demissão imediata do presidente da Petrobras, Pedro Parente.

LEIA TAMBÉM
Gleisi: “É crime atrelar os preços dos combustíveis no Brasil ao dólar”

Uma greve vai emendar à anterior. Era tudo que Temer e a Globo não queriam de jeito nenhum.

Comentários encerrados.