Greve dos caminhoneiros entra no 10º dia; Parente pode cair hoje

Entrou no décimo dia a greve dos caminhoneiros, nesta quarta (30). O movimento ganhou simpatia da sociedade porque é contra o aumento abusivo nos combustíveis da Petrobras que, desde outubro de 2016, atrela os reajustes à variação do dólar e à cotação internacional do petróleo. Por isso o presidente da estatal, Pedro Parente, pode cair ainda hoje.

A conta não fecha por uma questão óbvia: o trabalhador brasileiro ganha o salário em real e paga o gás de cozinha, a gasolina e o diesel em dólar cuja variação é diária. Ou seja, nesse período houve 223 reajustes nos preços dos combustíveis.

Políticos do MDB alinhados com Michel Temer pedem a cabeça de Parente e modificação da política de preços da Petrobras. Eles apontam o presidente da Petrobras como responsável pela “tragédia” da paralisação dos caminhoneiros.

Para piorar a situação de Pedro Parente, os petroleiros entraram hoje em greve com pautas parecidas com a dos caminhoneiros: redução no preço dos combustíveis e demissão do presidente da Petrobras.

Diante da crescente pressão na política e nas ruas, Temer admitiu nesta terça (29), em São Paulo, que poderá mexer na política de preços da estatal. É ver para crer.

Comentários encerrados.