Prefeito de Curitiba, Rafael Greca, tem 15 minutos de fama na desgraça de Lula

O prefeito de Curitiba Rafael Greca (PMN) tem seus 15 minutos de fama na desgraça alheia ao fazer uma cruzada pela transferência do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso desde 7 de abril na Polícia Federal do Paraná.

LEIA TAMBÉM
STF conclui amanhã julgamento virtual que pode soltar Lula

O petista é mantido preso político na capital paranaense há mais de um mês, quando o TRF4 determinou a antecipação do cumprimento da pena de 12 anos e um mês no caso do tríplex. Nem o juiz Sérgio Moro, da primeira instância, nem os desembargadores da segunda instância apresentaram provas para condenar Lula.

Quanto ao local do encarceramento ilegal, Greca alega que o juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, não tem alvará para manter o petista preso na Superintendência da Polícia Federal.

LEIA TAMBÉM
Greca reforça narrativa do PT ao denunciar ilegalidade no presídio de Moro

“O prédio da PF não é uma penitenciária e a Justiça não pode violar a lei. Conversei com desembargadores do TRF4 de Porto Alegre e fui muito bem recebido”, disse Greca em entrevista ao Jornal da Eldorado.

“O município merece respeito da Justiça Federal, mas Justiça tem seu tempo e talvez por isso os prédios caiam em SP por abandono”, completou o prefeito curitibano.

O presidente estadual do PT do Paraná, Doutor Rosinha, tem uma máxima que responde a angústia de Greca: “Não queriam que Lula viesse para Curitiba? Ele veio, mas trouxe junto seus amigos”.

Comentários encerrados.