Golpistas não gostam de eleição e não reconhecem resultado na Venezuela

O Itamaraty publicou nesta segunda-feira (21) uma nota sobre as eleições na Venezuela. Nela, a diplomacia brasileira afirma não reconhecer a vitória de Nicolás Maduro nas eleições presidenciais daquele país. A nota é mais uma mostra de que os golpistas não gostam de eleições em que eles, ou seus aliados, não sejam os vencedores.

O presidente da Venezuela Nicolás Maduro foi reeleito neste domingo (20) com 68% dos votos válidos. Ele obteve 5.823.728 votos para o novo mandato 2019-2025.

Leia a seguir a nota publicada pela chancelaria brasileira chefiada pelo tucano Aloysio Nunes:

Eleições na Venezuela

O Governo brasileiro lamenta profundamente que o governo venezuelano não tenha atendido aos repetidos chamados da comunidade internacional pela realização de eleições livres, justas, transparentes e democráticas. Nas condições em que ocorreu – com numerosos presos políticos, partidos e lideranças políticas inabilitados, sem observação internacional independente e em contexto de absoluta falta de separação entre os poderes – o pleito do dia 20 de maio careceu de legitimidade e credibilidade.

Assim, ao invés de favorecer a restauração da democracia na Venezuela, as eleições de ontem aprofundam a crise política no país, pois reforçam o caráter autoritário do regime, dificultam a necessária reconciliação nacional e contribuem para agravar a situação econômica, social e humanitária que aflige o povo venezuelano, com impactos negativos e significativos para toda a região, em particular os países vizinhos.

O Brasil continuará atuando, inclusive na Organização dos Estados Americanos, em favor do restabelecimento da institucionalidade democrática, do estado de direito e do respeito aos direitos humanos na Venezuela. Também seguirá empenhado em seus esforços de mitigar os efeitos da crise humanitária que vivem os venezuelanos e acolher, de acordo com a legislação nacional e nossas obrigações internacionais, os que ingressem em território brasileiro.

Comentários encerrados.