Gleisi: ‘Veja ou mente ou comete crime’

A presidenta nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann, foi benevolente ao deixar duas opções acerca da matéria de capa da Veja, detalhando a cela do ex-presidente Lula: “se não é mentirosa é, no mínimo, criminosa”. São as duas coisas juntas, maximizadas, cara parlamentar.

LEIA TAMBÉM
Juíza amolece para Veja

Pelo Facebook, Gleisi protestou contra a capa da revista Veja e a liberação do acesso concedido pela juíza Carolina Lebbos, da 12ª Vara Federal do Paraná, que tem atropelado a lei para dificultar visitas de amigos e correligionários de Lula e sido “mole” com os adversários do petista.

Gleisi e o ex-governador da Bahia Jaques Wagner estiveram ontem (3) com Lula, depois, é claro, de Veja…

O senador Roberto Requião (MDB-PR) tem uma clássica recomendação sobre a publicação da Editora Abril: “Veja, não compre. Se comprar, não leia. Se ler, não acredite. Se acreditar, relinche.”

A seguir, leia a íntegra da manifestação da presidenta nacional do PT:

A matéria de capa da revista Veja que vai às bancas nesta sexta-feira, se não é mentirosa é, no mínimo, criminosa.

De acordo com o texto de apresentação da capa, a reportagem teria conseguido acesso a sala onde o ex-presidente Lula está detido na superintendência da Polícia Federal em Curitiba.

A descrição detalhada de como seria o cotidiano de Lula, há quase um mês preso, abre uma série de questões que precisam ser respondidas. A mais latente delas é: se quase nenhum amigo próximo do ex-presidente, nenhum jornalista e nem mesmo seu médico foram autorizados a entrar no local onde Lula está detido, quem autorizou que justamente a reportagem da revista Veja entrasse? E, mais ainda, por qual motivo? Qual a relevância jornalística do dia a dia de Lula na prisão sendo que praticamente ninguém, além dos advogados e família do petista, têm autorização para visitá-lo?

Comentários encerrados.