Defesa de Lula pede suspeição de Moro por suas relações com João Doria

Os advogados de defesa do ex-presidente Lula apresentaram ao Juiz Sérgio Moro uma exceção de suspeição pelas suas relações com o ex-prefeito de São Paulo, e pré-candidato a governador, João Doria Jr (PSDB). A petição lembra os diversos eventos em que Moro esteve junto com Dória e como o tucano usou as relações com o juiz federal para fazer campanha.

A peça pede que o Juiz Sérgio Moro se declare suspeito e se abstenha de julgar o ex-presidente Lula. Essa é a regra quando um magistrado possui algum laço de parentesco, amizade ou profissional com partes ou interessados nos processos. A defesa de Lula sustenta que Doria é adversário político de Lula e já concorreu com o PT na disputa pela prefeitura de São Paulo. Caso Moro não acolha o pedido, a defesa de Lula vai recorrer às instâncias superiores.

O pedido enfatiza o último evento da empresa LIDE, de João Dória, em Nova Iorque, no qual Moro foi homenageado e fotografado ao lado de Doria. As fotos e vídeos do evento foram publicados pelo tucano e usados na sua autopromoção política. Os advogados também questionam o apoio da Petrobras ao evento, uma vez que a empresa que é parte como assistente de acusação em casos julgados por Moro.

A defesa de Lula quer que Moro preste esclarecimentos sobre as remunerações e custeio das suas despesas como palestrante no evento. João Dória Jr. e Pedro Parente, presidente da Petrobras, foram arrolados como testemunhas no caso.

Leia a íntegra da peça da defesa de Lula aqui

Comentários encerrados.