Correios: Sucatear e privatizar?

A notícia do fechamento de 513 agências e demissão de mais de 5 mil funcionários dos Correios vem causando medo entre os trabalhadores e incerteza nos usuários. O presidente da empresa, Carlos Roberto Fortner, não nega a notícia. Seria esse mais um passo rumo à privatização dos serviços postais no País?

Segundo matéria do Estadão, os Correios devem fechar 513 agências próprias e demitir em torno de 5.300 funcionários nos próximos meses. Após a notícia, a empresa divulgou uma nota que não nega a intenção de fazer os cortes.

“Os Correios esclarecem que a empresa vem realizando estudos pormenorizados de readequação de sua rede de atendimento”, diz a nota do presidente da Empresa.

Na realidade, os serviços prestados pelos Correios vêm sendo precarizados desde o golpe de 2016. Constantes atrasos e extravios de encomendas, irritam os usuários dos serviços. Os serviços de Banco Postal foram encerrados em quase 2 mil agências de 12 estados.

Agora, com o fechamento de agências, o serviço deve piorar ainda mais, abrindo espaço para a quebra do monopólio e a privatização dos serviços da empresa.