Brasil foi questionado na OEA sobre intervenção no Rio e assassinato de Marielle Franco

Publicado em 9 maio, 2018
Compartilhe agora!

O Brasil foi questionado na Organização dos Estados Americanos (OEA) sobre violações dos direitos humanos no âmbito da intervenção militar federal no Rio de Janeiro e pelo assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e seu motorista Anderson Gomes. A sessão da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) da OEA foi realizada ontem (8), em Santo Domingo na República Dominicana.

Os questionamento foram encaminhados por representantes da sociedade civil brasileira e reiterados pela CIDH. Sobre a intervenção militar no Rio de Janeiro, o Brasil foi questionado pela natureza da operação, que seria vedada pela Constituição Federal. A falta de transparência e as violações aos direitos humanos na operação também foram questionadas.

No caso do assassinato de Marielle Franco e Anderson Gomes, o Brasil foi questionado pela demora nas investigações. Ocorrido há mais de 50 dias, o duplo assassinato ainda não foi esclarecido. A audiência deste caso teve a participação da viúva de Marielle, Mônica Benício.

“Viemos aqui para reafirmar que a execução de Marielle não será instrumentalizada para o recrudescimento das bárbaras políticas que a executaram. Não toleraremos nem mais um dia da falsa narrativa à guerra às drogas, do confronto armado que esconde o profundo comprometimento dos agentes dos estados, perpetuando arranjos lucrativos do tráfico de drogas e de armas. A farsa não se sustentará em nome de Marielle”, afirmou Mônica.

Pela sociedade civil, participaram as entidades Justiça Global, Conectas, Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Intersexos (ABGLT), Terra de Direitos, Redes da Maré e a Defensoria Pública do Rio de Janeiro.

O Estado Brasileiro  enviou representantes do Ministério de Relações Exteriores, Ministério de Direitos Humanos, Advocacia Geral da União, Secretaria Nacional de Juventude e do Ministério Público Federal do Rio de Janeiro.

Com informações do Brasil de Fato

Compartilhe agora!