Beto Richa sabia de esquema com a Odebrecht, afirma ex-deputado

Publicado em 12 maio, 2018

O ex-deputado Tony Garcia, amigo de infância do ex-governador Beto Richa (PSDB), afirma que entregou ao tucano cópia dos áudios em que seu ex-chefe de gabinete, Deonilson Roldo, fora flagrado facilitando a vitória da Odebrecht numa licitação de R$ 7 bilhões no governo do Paraná.

De acordo com os áudios divulgados na quinta (10) pela revista IstoÉ, o ex-chefe de gabinete do tucano acertou a saída de uma empreiteira da licitação da duplicação da PR-323 em favor da Odebrecht. A obra é parceria público-privada (PPP) cuja concessão vale por 30 anos, com possibilidade de a vencedora explorar pedágio ao longo dos 207 km de rodovia.

Deonilson Roldo foi demitido da diretoria da Copel pela governadora Cida Borghetti (PP), nesta sexta (11), numa tentativa de o escândalo não atingir seu recente governo e, de certa forma, blindar politicamente o antecessor que disputará o Senado.

Tony Garcia disse ao O Globo que entregou cópia da gravação a Richa, mas que seu amigo de infância ignorou o aviso e manteve a concorrência fraudulenta.

“Beto dirá que Deonilson era um chefe de gabinete distante?”, perguntou o ex-deputado numa rede social.

Ainda segundo O Globo, a propina seria de R$ 30 milhões pelo contrato com o governo do Paraná. Entretanto, delatores da Odebrecht garantem que pagaram somente R$ 2,5 milhões que abasteceram a campanha de reeleição de Beto Richa em 2014. O restante não foi pago porque a empreiteira foi arrastada pela lava jato.

As investigações acerca do propinoduto no governo do Paraná estão a cargo do juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal do Paraná, desde que o tucano renunciou para disputar o Senado.