Temer e Meirelles aumentam a desigualdade social no Brasil

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgados ontem (11) apontam para o aumento da desigualdade e queda geral da renda dos brasileiros em 2017. A renda dos 5% mais pobres caiu de R$ 76, em 2016, para R$ 47 no ano passado.

Os números são reflexo da recessão e da precarização das relações de trabalho implementadas pelo governo do ilegítimo Michel Temer e seu ex-ministro dos bancos, Henrique Meirilles, ambos MDB.

No ano passado, os 1% mais ricos receberam 36,1 vezes mais do que a metade mais pobre da população. A desigualdade de renda aumentou em quase todo o país, só não no Sudeste.

“A tendência do aumento da desigualdade de renda é consequência da grave recessão. Quem mais se prejudica nessa situação são os trabalhadores, que perdem o emprego e têm seus salários achatados. De outro lado, os ricos acabam tendo capacidade de ampliar seu patrimônio e sua renda”, diz Clemente Ganz, diretor técnico do Dieese.

Leia aqui o relatório completo da PNAD do IBGE.

Com informações do Portal Vermelho.

Comentários encerrados.