Por Esmael Morais

PT afirma que ex-presidente Lula corre riscos na PF de Curitiba

Publicado em 09/04/2018

Para o Partido dos Trabalhadores, cumplicidade policial com atos de violência coloca em risco a segurança do ex-presidente Lula. Segundo a legenda, o homem que agrediu a candidata do PCdoB à Presidência da República, Manuela D’Ávilla, tem livre trânsito na PF de Curitiba.

LEIA TAMBÉM
Curitiba, o inferno de Moro

Curitiba, a capital nacional do PT

“Quem é essa pessoa? Trabalha aqui? É agente? É carcereiro? Se foi um funcionário da Polícia Federal, ou não, isso tem que ser esclarecido”, questionou o senador Lindbergh Farias (PT-RJ).

As primeiras informações sobre a identidade do homem que invadiu a área onde estão os apoiadores do ex-presidente Lula, em Curitiba, na tarde desta segunda-feira (9), são de que ele possa ser membro da Polícia Civil do Paraná.

Nas redes sociais, Alexandre Frota comemorou o ato de violência promovida pelo homem que também é apoiador de Jair Bolsonaro: “Karlindo prometeu e cumpriu”, escreveu Frota em uma conta na rede social, revelando que a ação foi premeditada.

Líder do PT na Câmara dos Deputados, o deputado Paulo Pimenta (PT-RS) demonstra preocupação com a segurança do ex-presidente Lula. O petista conta que toda a ação foi facilitada pelos policiais. “O fato de ser uma ação premeditada torna o episódio ainda mais grave. Durante todo o tempo, ele esteve amparado pelos policiais. Entrou e saiu escoltado pela Polícia. Cobramos a identificação do homem, e eles se recusaram a fornecê-la, pois as suspeitas iniciais são de que se trata de um colega de farda, por isso eles estão tentando omitir a identidade do agressor”, denuncia Pimenta.

Outros parlamentares presentes em Curitiba revelam preocupação com a segurança do ex-Presidente Lula, como o senador Lindbergh Farias (PT) e a própria deputada que foi agredida, Manuela D´Ávila.

Manuela comentou o ataque sofrido hoje (9) e lembrou o episódio dos áudios, confirmados pela Força Aérea Brasileira, que pediam que jogassem Lula pela janela do avião que o transportava para Curitiba. “A preocupação é a integridade do Presidente Lula. O cara me agride e sai escoltado. A obrigação de esclarecer todos os fatos é da Polícia Federal”, protestou.

Até o momento nem a Polícia Federal nem a Polícia do Estado do Paraná deram qualquer esclarecimento. A Presidenta do PT, Gleisi Hoffmann anunciou que às 17h30 haverá uma reunião na Superintendência da Polícia Federal para pedir apuramento o caso.