CBF ‘coxinha’ barra comercialização de camisa de ‘esquerda’ da seleção

| Comente agora

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) proibiu a comercialização da versão vermelha, “de esquerda”, da camisa da seleção brasileira de futebol. Após grande repercussão da ideia nas mídias sociais, a designer Luísa Cardoso resolveu produzir as camisetas vermelhas com o símbolo comunista (foice e martelo cruzados) estampado ao lado do brasão da CBF. Em notificação enviada pela cartolagem da CBF à designer, esclarece que a logomarca da CBD (Confederação Brasileira de Desportos, antigo nome da CBF), usada no produto, também pertence à instituição. O documento pede que ela não utilize as marcas da instituição e remova as postagens sobre o assunto nas redes sociais.

Luísa respondeu a solicitação e prometeu não dar continuidade ao projeto: “Disse que não era minha intenção e que eu sabia dessa questão de uso de marca. Por conta disso, não tinha produzido as camisetas e estava esperando o contato deles. Me comprometi a interromper a utilização dos brasões”, falou a designer em entrevista ao Na Vitrine. Ela ainda prometeu criar um novo item que não utilize propriedades intelectuais da confederação.

Pelo visto, a CBF quer manter o monopólio das “amarelinhas” como símbolo dos coxinhas. Vale lembrar que o ex-presidente da entidade José Maria Marin se encontra preso nos EUA por corrupção e o atual presidente da CBF,  Marco Polo Del Nero, é procurado pela Interpol. O antigo “capo” Ricardo Teixeira também responde diversos processos judiciais por maracutaias em contratos durante gestão na CBF.

*Com informações das Agências