Acampamento Lula Livre divulga nota sobre a primeira semana da ocupação

| Comente agora

A coordenação do Acampamento Lula Livre, integrada por diversos movimentos sociais e ativistas,  divulgou nota sobre a primeira semana da ocupação, que segue se fortalecendo com a chegada de novas caravanas. O movimento recorda também do ataque policial ocorrido no último sábado (7), quando da chegada do ex-presidente Lula na sede da Polícia Federal. Neste fim de semana, uma série de atividades políticas e culturais estão programadas, como uma homenagem à memória da vereadora do PSOL, Marielle Franco, assassinada há um mês na cidade do Rio de Janeiro. Confira a íntegra da nota.

Amanhã (dia 14) completa-se uma semana desde que o presidente Lula foi trazido à Curitiba, quando ocorreu o infeliz e desnecessário episódio de repressão contra o movimento democrático que aguardava a chegada dele na frente da Superintendência da Polícia Federal.

Quanto à viol~encia daquele sábado, várias organizações estão encaminhando denúncia para a Comissão Interamericana de Direitos humanos (Cidh). O documento é assinado pelas organizações de defesa de direitos humanos Terra de Direitos e Justiça Global, além da Central Única dos Trabalhadores (CUT), do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB).

Logo na madrugada do dia 8, apesar da repressão, organizamos a vigília democrática e na manhã de domingo o acampamento Lula Livre passou a ter vida.

Amanhã também é um momento de muita simbologia devido à denúncia de um mês do brutal assassinato da vereadora do PSOL, Marielle Franco, sem qualquer avanço nas investigações. Haverá ato às 9h e também às 18h com o batuque organizado pelas organizações.

A programação do final de semana ainda será marcada por presença de artistas e lideranças políticas. Às 18h, o acampamento recebe Olívio Dutra, ex-governador do Rio Grande do Sul, e ao longo do final de semana terá a presença da escritora Alice Ruiz, Estrela Leminski e Teo Ruiz, entre outros.

Especulações contra a organização do acampamento continuam sem base na realidade. O melhor exemplo foi a vinda do Conselho Tutelar ao acampamento, que constatou ausência de crianças acampadas no local. Hoje, as doações garantem diariamente sete mil refeições para acampados e também visitantes do acampamento.

Seguiremos em luta, por Justiça, para reverter a prisão arbitrária de Lula, ao lado do presidente em cada lugar onde ele estiver, até que conquistemos a sua liberdade e o direito de o povo brasileiro decidir em quem quer votar nas eleições.

Lula livre! Lula inocente!
Ocupa Curitiba!
Curitiba, 13 de abril de 2018