Blog do Esmael

A política como ela é em tempo real.

Para lembrar: Richa e deputados ‘do camburão’ são alvos de protestos no interior

O dia 11 de abril de 2015 foi um sábado. Mas nem por isso foi tranquilo no meio político do Paraná. Os professores e servidores aumentavam a pressão contra os deputados da “bancada do camburão” e o então governador Beto Richa (PSDB). Além disso, o deputado João Arruda (MDB) denunciava a corrupção no governo.

Richa apareceu de surpresa na 55ª edição da Exposição Agropecuária e Industrial de Londrina (ExpoLondrina). O tucano chegou pela “porta dos fundos”. Ele temia os educadores que juraram seu couro. Richa firmou acordos para pôr fim à greve de professores e funcionários de escolas, mas descumpriu todos eles.

Já em Palmas, três deputados da base de sustentação do governador na Assembleia deram meia-volta quando perceberam que seriam recepcionados por professores no “1º Encontro de Líderes do Movimento Palmas Desenvolvida”.

Para completar o dia, o deputado federal João Arruda, fez sérias denúncias contra o governador. “Hoje, a Receita é uma ferramenta de arrecadação do governador e dos seus parentes. O senhor Luiz Abi (primo de Richa) chefiava uma quadrilha na Receita Estadual”, denunciou Arruda.

O deputado defendeu que o PMDB feche questão pela instalação da CPI da Assembleia para investigar a corrupção no governo. A ideia da CPI foi levada adiante pela oposição, mas a “bancada do camburão” conseguiu barrar a investigação.

Enfim, os ânimos dos professores e servidores subia na medida que o governador e sua bancada seguiam na sua intenção de confiscar o fundo da Paranaprevidência. Em denúncia dos servidores, fica evidente que essa atitude irresponsável põe em risco o pagamento de aposentadorias e até salários dos servidores estaduais no futuro.

Os servidores iriam perceber esse perigo nas semanas seguintes; retomariam a greve e tentariam barrar a aprovação do confisco. Esse foi o cenário que resultou no massacre de 29 de abril. Vamos relembrando diariamente os fatos que levaram a esse trágico desfecho. Para que nunca mais se repita.

Comentários desativados.