Vem aí outro “7×1”. Que a sabedoria ilumine o técnico

O jornalista Ricardo Cappelli analisa que o julgamento do ex-presidente caminha para mais um “7×1”. “Lula deve ser preso pouco antes ou logo depois da Semana Santa. Nada fora do roteiro na lógica do Golpe, tudo previsível”, escreve.

Vem aí outro “7×1”. Que a sabedoria ilumine o técnico

Ricardo Cappelli*

A Ministra Cármen Lúcia publicou a pauta do STF para o mês de abril. Nem sinal da revisão da posição que autorizou a prisão após decisão em segunda instância. É muito improvável que paute também o habeas corpus preventivo de Lula. Ela apenas está reiterando suas posições públicas.

Enquanto isso em Porto Alegre, o desembargador Leandro Paulsen remarcou para o dia 26 de março a sessão que estava prevista para o dia 28. Neste dia volta de férias Victor Laus. O TRF4 estará pronto para julgar o último recurso e decretar a prisão imediata de Lula. Pelos sinais, não querem perder nenhum dia.

Brigar com a realidade virou o esporte predileto de setores da esquerda brasileira. E não me venham com a cantilena de que o contrário é aceitar o golpe e jogar aos leões o presidente Lula. Ninguém aguenta mais este teatro, por favor!

Defender Lula é uma questão de princípio, inegociável. Se utilizar do fato de forma oportunista para fazer politicagem bravateira pensando apenas no próprio umbigo é outro papo, “pra cima de moá não, queridos!”.

De manhã o advogado de Lula percorre os salões do STF tentando sensibilizar os ministros, depois do almoço alguns parlamentares e parte da mídia alternativa progressista desanca o Tribunal. Movimentos descoordenados? Acaso? Maluquice? Traição? Oportunismo?

O fato é que caminhamos para mais um “7×1”. Lula deve ser preso pouco antes ou logo depois da Semana Santa. Nada fora do roteiro na lógica do Golpe, tudo previsível.

Como está dentro da lógica do golpe também que, após o adversário abrir uma larga vantagem e o técnico ser expulso de campo o time, descontrolado, se divida e parta para a pancadaria entre seus próprios jogadores. Ou vocês não acham que isto está dentro do roteiro deles e da lógica do Golpe também?

Só o técnico pode rearrumar o time e partir para uma contraofensiva antes de sua expulsão de campo. Se o time rearrumado conseguir a virada histórica, independentemente da camisa que esteja vestindo, o técnico será o grande vitorioso.

O tempo está correndo. Que a sabedoria ilumine Lula.

*Ricardo Cappelli é jornalista e secretário de estado do Maranhão, cujo governo representa em Brasília. Foi presidente da UNE (União Nacional dos Estudantes) na gestão 1997-1999.

Comentários encerrados.