STF vai analisar prisão em segunda instância; Globo e Cármen Lúcia perdem batalha

A ministra Cármen Lúcia, presidenta da STF, se isolou na discussão sobre a prisão imediata de condenados em segunda instância. Nesta quarta (21), o ministro Marco Aurélio Mello deverá apresentar uma questão de ordem para que o tema seja pautado pela Corte.

O Blog do Esmael vinha apontado que Carminha seria atropelada pelos colegas do STF, apesar do apoio que ela tem da Globo para não enfrentar o debate.

Cármen Lúcia fez nas últimas horas jogada digna das velhas raposas da política para driblar o assunto, mas acabou dando errado e ela ficou em desconforto. A gota d’água foi definir uma reunião sugerida pelo ministro Celso de Mello e não convidar ninguém para o conclave. O decano foi exposto ao escracho nas redes sociais e ela saiu de “santinha” na Globo.

O que se desenha é um acordo entre o Congresso Nacional e o STF para livrar da prisão o ex-presidente Lula e uma dezena de políticos graúdos, revendo a prisão em caso de condenação na segunda instância. O jornalista Ricardo Cappelli detalhou hoje (20) os pontos deste grande entendimento.

Caso a questão de ordem de Marco Aurélio Mello seja vitoriosa amanhã, a questão da execução da pena após condenação no segundo grau entrará automaticamente na próxima pauta do STF. O magistrado é relator de duas ações declaratórias de constitucionalidade (ADCs) em que o Partido Ecológico Nacional e a Ordem dos Advogados do Brasil são autores.

Resumo da ópera: Globo e Cármen Lúcia perdem batalha da prisão na 2ª instância

Comentários encerrados.