Por Esmael Morais

Senadores levam “privatização dos céus” brasileiros ao Supremo

Publicado em 19/03/2018

Os senadores Roberto Requião (MDB-PR), Paulo Paim (PT-RS) e Lindbergh Farias (PT-RJ) impetraram mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal para garantir o direito de o Senado discutir e votar o entreguista acordo aéreo com os EUA, que manda a nossa soberania para o espaço. Os parlamentares que integram a Frente Parlamentar em Defesa da Soberania Nacional são contrários à “privatização dos céus” brasileiros, como pretende o governo Michel Temer.

LEIA TAMBÉM
Requião: Cadê as forças armadas para defender a integridade do Brasil?

O mandado de segurança recebeu o número 35586 e foi distribuído ao ministro Celso de Mello, autor do célebre relatório no mandado de segurança 24.831-9, no qual afastou a alegação de matéria “interna corporis” (exclusivamente regimental), reconheceu o direito constitucional implícito à oposição política e consagrou o estatuto constitucional das minorias parlamentares. “Reconheceu e consagrou então e, por coerência, reconhecerá e consagrará agora”, acreditam os senadores oposicionistas.

O que está em questão é a soberania nacional. O senador Roberto Requião aponta as razões para lutar contra o entreguista acordo de “céus abertos”: “Este governo não governa o Brasil. Entrega, doa, vende baratinho.”