OAB e Globo, tudo a ver

A OAB foi rápida no gatilho ao criticar a ação de 800 mulheres que hoje (8) ocuparam, no Rio, o parque gráfico do jornal O Globo. Mas a entidade não tem a mesma agilidade na defesa do Estado Democrático de Direito, em conformidade com o art. 44 do Estatuto da Advocacia. A nota emitida pela Ordem revelou sua posição nesta guerra pela prisão ou não do ex-presidente Lula.

A OAB saiu da toca para repetir a pauta da Globo e criminalizar diversos movimentos populares que protestaram contra a participação da empresa dos Marinho nos golpes de 1964 e 2016. Mais uma vez, a entidade se perfila com os golpistas de plantão.

LEIA TAMBÉM
OAB muda e calada sobre violação da Constituição por Carminha

Ao condenar a ocupação d’O Globo, em nota, a OAB jura que é “intransigente” na defesa da Constituição da República. Claro, quando isto beneficia o golpe que ajudou a dar em 2016.

“Somos intransigentes na defesa da Constituição da República, que é clara ao delimitar que os direitos não se sobrepõem uns aos outros. Todos os direitos e garantias são fundamentais para a manutenção e o aprimoramento do Estado Democrático de Direito, inclusive o direito à integridade física e à propriedade privada. Defendemos a liberdade de expressão e de manifestação, sendo elas pacíficas”, escreveu Claudio Lamachia, presidente da OAB.

Resumo da ópera: é preciso refundar a OAB.

Assista ao vídeo da ocupação:

Comentários encerrados.