Por Esmael Morais

Jornal argentino “Página 12” afirma que fascismo é ameaça real no Brasil

Publicado em 30/03/2018

O jornal argentino Página 12 afirma que o avanço do fascismo no Brasil é mais real do que se possa imaginar. De acordo com analista internacional Juan Manuel Karg, não se trata de uma “apressada” opinião ao declinar dois eventos recentes: 1- o atentado a tiros contra a caravana de Lula, no Paraná; e 2- o assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL), no Rio de Janeiro.

“De que outra forma, se não o fascismo, podemos caracterizar o grupo de bandidos que atacaram a caravana do homem mais importante da história contemporânea do Brasil?”, questiona o especialista argentino.

Para corroborar a afirmação de que o fascismo não é nenhum fantasma, é real, Manuel Karg destaca que, por meio de agressões, “o oficial militar aposentado Jair Bolsonaro, segundo em pesquisas e crescendo em face do colapso da “direita clássica” brasileira.”

Para o articulista do Página 12, a extrema-direita brasileira buscou com os tiros na caravana do ex-presidente intimidar organizações e movimentos sociais diante da provável prisão do ex-líder metalúrgico. “O objetivo básico é colocar o medo diante de uma sentença que é claramente injusta, em um processo tão viciado quanto o que levou à saída de Dilma Rousseff do Planalto.”

Juan Manuel Karg, o Brasil corre sério risco de entrar em uma fase de mexicanização de sua política, com assassinatos de líderes políticos, ataques a líderes populares e tentativas de legitimar essa violência, através de cumplicidade, de vários setores do poder. “É a triste evolução de um golpe parlamentar que, desde 2016, mantém o país em verdadeiro estado de emergência, onde a condenação e a inabilitação de Lula para concorrer na eleição de outubro são a segunda fase.”