Por Esmael Morais

Jair Bolsonaro atira para todos os lados

Publicado em 03/03/2018

A tropa de choque de Jair Bolsonaro (PSL-RJ) está chamando para a briga os demais candidatos à Presidência da República que, de alguma forma, competem com o ex-capitão Exército no eleitorado de direita. Pelas redes sociais, por exemplo, o senador Alvaro Dias (Podemos-PR) é chamado de “comunista”; o ex-governador Ciro Gomes (PDT) é tratado como “assecla” de Nicolás Maduro — o presidente venezuelano.

Bolsonaro ficou meio atordoado com a intervenção federal no Rio de Janeiro cujo melhor diagnóstico político foi dado pelo humorista José Simão: “O Temer roubou os bandidos do Bolsonaro”. Sim, Michel Temer (MDB) tomou a bandeira do presidenciável do PSL com o uso da violência estatal contra as favelas cariocas.

Não há evidências de que Temer conseguirá transformar em votos a intervenção nos morros do Rio. A princípio ele continua o homem mais odiado do planeta, portanto, eleitoralmente permanece um zero à esquerda.

Todos esses pré-candidatos que disputam o nicho do eleitorado conversador têm em comum a esperança de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva terá a candidatura barrada. Sem o tapetão e com Lula no páreo, Bolsonaro, Ciro, Alvaro, Temer, dentre outros, virariam pó, pois o petista tem força eleitoral para vencer a corrida já no primeiro turno — segundo vários institutos de pesquisas.