Por Redacao

Temer mobiliza Itamaraty para conter pressão internacional após assassinato de Marielle

Publicado em 18/03/2018

O governo golpista de Temer, com a imagem bastante desgastada no exterior, mobilizou o Itamaraty para conter a forte pressão recebida pelo país depois do brutal assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes. As manifestações ocorridas em Paris e Berlim neste fim de semana, as decisões do Parlamento Europeu, OEA, Parlatino e a visita de relatores da ONU, nos próximos dias, exigindo rapidez e transparência nas investigações deixaram o governo na defensiva no front externo.

 

 

No Parlamento Europeu, uma coalizão de partidos de esquerda composta por 52 deputados enviou uma carta para a chefe da diplomacia do bloco pedindo a suspensão das negociações entre Mercosul e Europa até que o Brasil desse respostas sobre a proteção a defensores de direitos humanos.
 Num primeiro telegrama, o Itamaraty informou sua rede de representantes sobre a posição do governo, enviando anexos dos comunicados emitidos pela presidência da República, pela Secretaria Especial de Comunicação Social, pelo ministro de Direitos Humanos, Gustavo Rocha, e pela Secretaria de Políticas para Mulheres.
O jornal O Estado de S. Paulo apurou que um segundo telegrama também foi enviado, instruindo certas embaixadas a ter uma atitude mais “ativa”. A orientação, nesse caso, era de que os postos fossem em busca das autoridades nacionais onde estavam para dar a posição oficial do que vem sendo feito para elucidar o caso.
*Com informações do Estado de S. Paulo