Por Eugênio Aragão

Globo amarga prejuízo com golpe, descrédito e recessão

Publicado em 19/03/2018


Apesar de ter conquistado algumas “vitórias” no campo político, as organizações Globo reduziram suas receitas e amargaram prejuízo no ano de 2017. É o que diz o o balanço do grupo esmiuçado pelo analista Samuel Possebon do portal Teletime. Pelo jeito o golpe de 2016, patrocinado pela emissora de TV, não foi um bom negócio.

Em relação ao ano anterior (2016), houve uma queda de 4,5% na receita líquida. Isso se deve à retração do mercado publicitário. A perda foi de R$ 468 milhões no ano. Em 2015 e 2016 a queda foi na casa dos 10%. Como resultado, os dividendos distribuídos aos acionistas são cada vez mais mirrados. Em 2017, esses dividendos foram os menores da última década.

Um dos focos do prejuízo da poderosa rede de comunicação é sua TV aberta. A rede Globo de Televisão é considerada o principal aparelho de alienação e de fabricação de mentiras do País. Mais do que tentar destruir a reputação de seus adversários, o “jornalismo” da emissora antecipa julgamentos, vaza dados sigilosos, e pauta os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário.

Nas últimas semanas ficou evidente a pressão da Globo para que a presidenta do STF, Cármen Lúcia, a Carminha, desrespeite a Constituição Federal e não paute a violação da presunção de inocência de condenados em segunda instância. Tudo para consumar a prisão do ex-presidente Lula.

Assim não há como preservar a credibilidade e audiência.