Escola Sem partido faz ‘k-suco’ ferver na Assembleia Legislativa do Paraná

Deu faniquitos no deputado Nelson Justus (DEM), presidente da CCJ da Assembleia Legislativa do Paraná, porque parlamentares contrários ao projeto Escola Sem Partido não deram quórum no colegiado.

A gritaria do presidente na reunião da CCJ, no começo desta tarde, no Centro Cívico, pôde ser ouvida até em Guaratuba, no Litoral do Paraná. “Alguns membros da comissão que se acham mais malandros que a própria malandragem não adentraram ao recinto e assim não deu quórum”, disparou.

Puto da vida, Justos convocou reunião para amanhã e ameaçou que votará amanhã de qualquer jeito. “Alguns membros da comissão que se acham mais malandros que a própria malandragem não adentraram ao recinto e assim não deu quórum”.

Na sessão desta segunda (19), a Assembleia Legislativa já havia rejeitado por 22 votos a 9 a tramitação do projeto em regime de urgência. Por isso, a Escola Sem Partido terá de “camelar” em cada uma das comissões até chegar ao plenário da Casa.

A bancada evangélica da ALEP pretende limitar discussões sobre política, sexualidade e gênero nas escolas da rede pública estadual. Ou seja, querem amordaçar os professores da educação básica do estado.

O diabo é que as gravações em áudio e vídeo foram excluídas (censuradas) dos anais, isto é, dos canais de comunicação da Assembleia Legislativa na Assembleia Legislativa.

Comentários encerrados.