Em nota, UGT condena tucanos por massacre de servidores na capital paulista

O presidente da União Geral dos Trabalhadores (UGT), seção Paraná, Paulo Rossi, emitiu uma nota de solidariedade aos servidores e que condenando os tucanos Geraldo Alckmin e João Doria pelo massacre desta quarta-feira (14), em São Paulo, durante manifestação contra a reforma da previdência municipal.

Leia a íntegra da nota:

Nota de repúdio à violência praticada contra os servidores da capital paulista

A União Geral dos Trabalhadores do Estado do Paraná – UGT-PARANÁ, vem por meio desta, REPUDIAR a crueldade cometida pelo batalhão de choque da Guarda Civil Metropolitana e pela Polícia Militar de São Paulo, nesta quarta-feira (14/3), em repressão aos professores municipais que protestavam na Câmara Municipal da capital paulista.

O projeto de reforma da previdência dos servidores municipais, patrocinado pelo prefeito João Dória (PSDB), tunga o salário da categoria – que está sem reposição salarial.

Esperávamos que práticas como esta, em virtude de fatos anteriores, não faziam mais parte do nosso cotidiano. Preocupa-nos ainda o fato de que, políticos com viés autoritário, almejem cargos majoritários, inclusive a presidência da República e o próprio governo do estado de São Paulo.

A UGT-PARANÁ solidariza-se com a luta dos Servidores Municipais de São Paulo, pois são esses trabalhadores e trabalhadoras que carregam o “piano” no dia a dia, prestando um serviço de qualidades aos paulistanos.

CHEGA DE VIOLÊNCIA!!! DEMOCRACIA E RESPEITO AOS CIDADÃOS JÁ!!!
Curitiba-PR, 15 de março de 2018.
DIREÇÃO DA UGT-PARANÁ

Comentários encerrados.