Por Esmael Morais

O plano diabólico de Beto Richa para fechar uma escola de 59 anos em Curitiba

Publicado em 19/03/2018

O professor Luiz Paixão Rocha, o Professor Paixão, relata os detalhes de um plano diabólico do governador Beto Richa (PSDB), do Paraná, para fechar o Colégio Padre Olímpio de Souza, de Curitiba, que completou 59 anos de funcionamento.

LEIA TAMBÉM
Beto Richa fecha universidades públicas do Paraná: UEL e Unicentro suspendem calendário

“No ano passado fechou o sexto ano. Neste ano, fechou o sétimo ano do ensino fundamental e o primeiro ano do ensino médio”, lamenta Paixão em carta publicado no Facebook.

O professor conta, com tristeza, que muitos estudantes, contrariados tiveram de deixar a escola este ano. “Está evidente, que o objetivo do governo, é utilizar o prédio da escola para outro fim, já que o mesmo se situa em região nobre da cidade, no Bairro Campina do Siqueira”, denuncia.

Os educadores do Colégio Padre Olímpio já estão falando em trazer o pastor Valdomiro para exorcizar Beto Richa.

A seguir, leia a íntegra da carta do Professor Paixão:

GOVERNO QUER FECHAR COLÉGIO DE 59 ANOS DE IDADE

Enquanto isto, segundo dados do próprio governo (SAEP 2017) os índices de qualidade de educação na escola crescem. O aproveitamento acadêmico dos estudantes, em Língua Portuguesa e Matemática foi maior do que a média do Paraná e de Curitiba.

Nesta semana, 14 de março, o Colégio Padre Olímpio de Souza, de Curitiba completou 59 anos de idade. A data foi comemorada nesta última quarta-feira, pelos estudantes, professores, funcionários e comunidade escolar. A comemoração foi marcada por momentos de alegria, de tristeza, e, também de esperança.

Alegria, pois o Colégio tem, ano a ano, superado desafios e consolidado como um ótimo espaço de aprendizagem e de conhecimento. E especialmente, um local agradável para os estudantes e para as suas famílias. Tristeza, por que desde 2016, o governo do Paraná atua para fechar a escola. No ano passado fechou o sexto ano. Neste ano, fechou o sétimo ano do ensino fundamental e o primeiro ano do ensino médio. Muitos estudantes, contrariados tiveram de deixar a escola este ano. Está evidente, que o objetivo do governo, é utilizar o prédio da escola para outro fim, já que o mesmo se situa em região nobre da cidade, no Bairro Campina do Siqueira.

Esperança, porque acreditamos ainda na possibilidade de não fechamento da escola. A procura por vaga na escola é cotidiana. O Colégio Padre Olímpio de Souza construiu a marca de uma escola acolhedora e, que tem como um dos principais méritos o trabalho com a diversidade. O acolhimento, o tratamento dado aos estudantes com necessidades educativas especiais é um dos diferenciais do Padre Olímpio. A escola construiu um verdadeiro espaço de inclusão.

QUALIDADE DE ENSINO – A escola que o governo quer fechar tem ampliado de forma significativa os índices de qualidade educacional averiguados pela própria Secretaria Estadual de Educação do Paraná. Ou seja, o governo quer fechar um projeto pedagógico em curso que está tendo êxito. Em que pese, as contradições da construção destes indicadores de qualidade de ensino, estes apontam para um rendimento escolar dos estudantes do Colégio Padre Olímpio de Souza acima da média de Curitiba e do Paraná.

O resultado do SAEP – Sistema de Avaliação da Educação do Paraná – realizado em 2017 pela Seed apontou para a melhoria dos índices de qualidade de ensino da escola. A avaliação foi obtida através de provas das disciplinas de Língua Portuguesa e provas para alunos do 9º ano do Ensino Fundamental e 3ª/4ª séries do Ensino Médio.

Em Língua Portuguesa, na avaliação dos Terceiros Anos, a média do Paraná ficou em 262,1. Curitiba atingiu um pouco mais da média estadua,l com 263,2. O Colégio Padre Olímpio superou as duas marcas, alcançando 289,8. Evidente que há necessidade de melhoria nestes índices. Para se ter uma ideia, em nível estadual, segunda o SAEP, 39,5% dos estudantes dos terceiros anos do ensino médio ficaram abaixo do conhecimento básico em língua portuguesa. Em Curitiba o número chega a 38%. No Colégio, 16,7%.

Em matemática os índices gerais são mais preocupantes ainda. No Paraná, 64% dos estudantes ficaram abaixo do conhecimento básico. Em Curitiba o número chegou a 62% , e no Padre Olímpio 50%. No geral, para estudantes dos terceiros anos, na disciplina de Matemática , o SAEP apontou uma média no Paraná de 260,9; Curitiba 264,1; e no Colégio 277,4. Mais uma vez a média de rendimento do colégio foi maior do que a média estadual e de Curitiba.

A mesma movimentação de índices também acontece com as avaliações dos Nonos Anos do ensino fundamental. A média do Colégio é superior tanto em matemática, como em língua portuguesa, Os dados podem ser verificados nas tabelas abaixo.

Em comparação aos SAEPs anteriores, a escola vem melhorando significativamente os índices. Em língua portuguesa por exemplo, caiu o número de estudantes abaixo do conhecimento básico: 23,8% em 2012 para 16,7 em 2017. No nono ano de 18,8% para 10,0%. Infelizmente não é este movimento que acontece no sistema estadual como todo. Será que fechando escolas estes índices irão melhorar? Com certeza não! Infelizmente, o governo do Paraná está mais preocupado com números frios, do que com a qualidade de ensino das crianças paranaenses.

UM POUCO DE HISTÓRIA – O Colégio Estadual Padre Olímpio de Souza que completou 59 anos está localizado próximo ao Terminal do Campina do Siqueira. Inicialmente funcionava como Grupo Escolar, em um prédio de madeira onde hoje situa o Posto de Saúde do bairro. Em 1982, em uma solenidade que contou com a presença do governador Ney Braga foi inaugurado um novo prédio de alvenaria nas proximidades do antigo grupo escolar. O nome do Colégio é uma homenagem ao Padre Olímpio de Souza, que além de exercer o sacerdócio foi um grande educador. Foi escritor de livros, inclusive de uma gramática de língua portuguesa. Trabalhou no Colégio Estadual e no Instituto de Educação do Paraná.