AMBEV, um caso de amor pelo Paraná?

O deputado Requião Filho (MDB) questiona os bilionários incentivos fiscais que a AMBEV, fábrica de bebidas, recebeu do governo Beto Richa (PSDB), no Paraná, em detrimento da concorrência representada pela Associação de Fabricantes de Refrigerantes do Brasil (Afrebras).

AMBEV, um caso de amor pelo Paraná?

Requião Filho*

Há alguns dias, a população começou a ter conhecimento do amor que envolve a gigante AMBEV e o Paraná. Incentivos milionários, protocolos secretos e sabe-se lá mais o quê foi firmado para manter à AMBEV uma das melhores, quiçá a melhor, condição tributária do país, em detrimento dos demais fabricantes de bebidas instalados no Estado.

Novas pontas deste emaranhado novelo começam a ceder e novos questionamentos surgem: Qual foi o real valor de incentivo concedido à empresa? Quanto significa em renúncia fiscal? Qual a Lei específica que o autorizou? Foi firmado convênio prévio com o Conselho Nacional de Política Fazendária, o CONFAZ? Houve estudo de impacto orçamentário? Há previsões e apontamentos nas Leis Orçamentárias? Quantos postos de empregos foram fechados em Curitiba? Quantos empregos foram gerados em Ponta Grossa? Quais as reais vantagens o Estado do Paraná e a população paranaense alcançaram?

Interessante é que o Governo não concedeu ao setor de bebidas benefícios semelhantes, mas sim escolheu empresas determinadas, no caso da AMBEV, para estender seu manto de incentivos.

Será amor? Se não for, quais são os reais interesses em se escolher uma pessoa jurídica para agraciar e virar as costas para as demais?

Enquanto a AMBEV cresce e domina o mercado, as demais indústrias paranaenses sangram para manter os empregos e a produção ativa, enfrentado os altos impostos e os gigantescos custos de água e luz.

Esta é a política do Beto Richa; privilegiar os grandes em detrimento dos menores… menos impostos às empresas escolhidas e menos empregos aos paranaenses…

Os produtos paranaenses sofrem com este regime opressor, instalado pelo Governo do PSDB, no Paraná. Um regime que assola o contribuinte e não se preocupa com o micro e pequeno empresário, que se mantem no poder não por seus feitos, mas pela cara propaganda que veicula.

Preocupado com esta situação, na manhã desta terça-feira estarei ao lado da AFREBRAS, na ALEP, discutindo os benefícios fiscais concedidos, o impacto enfrentado pelo setor, os postos de empregos e as consequências da política adotada. Convido a todos para acompanhar a Audiência Pública.

*Requião Filho é deputado estadual pelo MDB do Paraná.

Comentários encerrados.