Sérgio Moro e Japonês da Federal foram “esquecidos” no Carnaval… E pau no Vampirão Neoliberal

A ausência da lava jato no Carnaval 2018 é sintomática aos privilégios para a magistratura e o mal que fizeram ao país Sérgio Moro, Japonês da Federal, etc., outrora heróis, agora percebidos como vilões por causarem milhões de desempregos no país. Se a força-tarefa foi “esquecida”, a mesma sorte não teve o Vampirão Neoliberal, qual seja, o senhor Michel Temer.

LEIA TAMBÉM:
Carnaval do “Volta, Lula”

Michel Temer é retratado como ‘diabo’ em desfile da escola da Paraíso do Tuiuti; assista

No Carnaval de dois anos atrás, de 2016, os bonecos do juiz Sergio Moro e do agende da PF Newton Ishii, conhecido como o “Japonês da Federal“, foram as novidades em Olinda (PE). Foram. No passado. Não são mais. Caíram no esquecimento, portanto.

Já foi dito aqui que o Carnaval de 2018, além de colocar no lixo da História o judiciário partidarizado, também é o mais politizado com críticas aos ataques de direitos dos trabalhadores. O destaque, não poderia deixar de anotar novamente, ficou com a escola de samba Paraíso de Tuiuti, que denunciou o golpe em plena Sapucaí. “Meu Deus, meu Deus, está extinta a escravidão?”, foi o enredo que apresentou Michel Temer caracterizado pelo satã neoliberal e os manifestantes de verde e amarelo como fantoches no impeachment que derrubou Dilma Rousseff.

“Monstro é aquele que não sabe amar. Os filhos abandonados da pátria que os pariu”, será o samba-enredo da Beija-Flor na noite desta segunda-feira (12) no Rio.

Resumo da ópera: o desfile desta noite promete!

Comentários encerrados.