Líder do governo ‘esquece’ da reforma da previdência na pauta do Congresso

O senador Romero Jucá (MDB-RR) deixou a reforma da previdência de fora das pautas prioritárias do governo no Congresso. Pelo Twitter, nesta terça (6), o líder governista mencionou na agenda de votações apenas a Lei Geral das Telecomunicações, a questão da dívida dos Estados e a simplificação tributária.

Em dezembro de 2017, decretou o fim da reforma da previdência. Na época, ele antecipou que o confisco das aposentadorias só viria à pauta em fevereiro. Agora, novamente, o líder do governo no Senado se comporta como o coveiro da proposta ao ‘esquecer’ a galinha dos ovos de ouro do sistema financeiro.

“O ano de 2018 será curto, teremos um esforço concentrado a partir de fevereiro. O planejamento para o ano é muito importante para ser feito. O governo já está trabalhando na agenda”, escreveu no Twitter.

O presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), tem a mesma opinião de Jucá: entrou água na reforma da previdência.

“Difícil é convencer os senadores que [a matéria] chegue aqui de manhã e seja aprovada no mesmo dia sem discussão. Não posso tirar o direito legítimo dos senadores de discutir, debater e emendar. Não quero patrocinar esse tipo de comportamento. Matéria da Previdência não é matéria da Câmara. É das duas Casas e será votada separadamente”, declarou Eunício.

O presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ), nesta segunda-feira (5), também havia dito que a reforma subiu no telhado porque o governo Michel Temer (MDB) não tem os 308 votos necessários para acabar com as aposentadorias.

Resumo da ópera: a reforma da previdência já dançou, mas os governistas ainda buscam uma maneira de dar a notícia para a mídia e os abutres do mercado.

2 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. A surucucu dá dois botes: Um para enganar e outro para matar. É preciso redobrar a vigilância contra os golpistas, porque estão aprendendo malandragem com um professor emérito que não se sabe se está solto ou preso.

  2. Eu estou muito muito desconfiado desse recuo. Acho bom a turma que é contra dormir nas portas das duas casas do congresso. Este governo. Com os dois olhos abertos.