Huck já gostava de “mamar deitado” em 2013, quando usou empréstimo de R$ 17,7 mi do BNDES para comprar jatinho

O dublê de apresentador e candidato da Globo Luciano Huck já gostava e “mamar deitado” em 2013, quando ele usou empréstimo de R$ 17,7 milhões do BNDES para comprar um jatinho Embraer Phenom. O dinheiro do banco público é destinado para fomentar atividades econômicas. Não foi o que aconteceu no caso do jatinho, que é um artigo de luxo.

A informação foi publicada com exclusividade pelo blog Tijolaço, do jornalista Fernando Brito. Neste domingo (11), a Folha também entrou na discussão da compra de jatinho de luxo com dinheiro subsidiado pelo poder público, isto é, pelo povo brasileiro.

Os juros do empréstimo do BNDES, datado de 29 de maio de 2013, foram de 3% ao ano, com 114 meses de amortização para o pagamento. Um negócio de pai para filho, portanto.

“Pega pela vaidade pueril, a compra com financiamento subsidiado, desmonta o discurso do “é meu porque comprei com o meu dinheiro”. Não, foi com o nosso, a juros subsidiados. Se eu quiser comprar um carro popular, vou pagar 25% ao ano”, anotou o Tijolaço neste sábado (10).

Luciano Huck, embora negue, articula candidatura à Presidência da República.

Comentários encerrados.