Fiep pedem fim da aposentadoria no mesmo dia de paralisação contra reforma da previdência

O presidente da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), Edson Campagnolo, defende o fim da aposentadoria para os trabalhadores. A posição do dirigente foi explicitada no mesmo dia em que houve uma paralisação nacional, inclusive em Curitiba, contra a reforma da previdência.

“O déficit da previdência é hoje uma das principais causas do desequilíbrio das contas públicas, que cria instabilidade econômica”, afirma o presidente da Fiep, sem, no entanto, dizer que o déficit é causado pelo governo que deixou de pagar a sua parte para garantir o pagamento dos juros à banca financeira.

A posição do presidente da Fiep não é só contra os trabalhadores, também é contrária ao setor produtivo. É como se a penicelina batesse papo amigável com a bactéria, portanto, sem noção.

“Equacionar esse problema é fundamental para que os investidores tenham segurança para aplicar seus recursos no país, gerando empregos e renda. É para levar informações aos empresários sobre um tema tão importante que promovemos esta edição do Fórum Visões”, continua Campagnolo.

Por “investidores” o leitor entenda “especuladores” no mercado financeiro que não produzem sequer um alfinete no país, ou seja, não geram emprego nem renda à Nação.

Por conta de posições “extravagantes” e seu papel contraditório aos interesses dos industriais brasileiros é que, há mais de dois anos, o Sistema S entrou no radar de investigações no Congresso Nacional.

Abaixo, assista ao vídeo do protesto de trabalhadores em Curitiba (via APP-Sindicato/CUT):

Comentários encerrados.