Ciro Gomes perde palanque no Paraná. PSB nacional dá “ok” para Osmar Dias

O ex-senador Osmar Dias obteve o sinal verde do PSB nacional para montar o palanque que quiser, visando a disputa pelo governo do Paraná, e a direção socialista o liberou na hipótese da candidatura de seu irmão Alvaro Dias (Podemos) à Presidência da República.

Nesta terça-feira (6), uma comitiva do PSB do Paraná encontrou-se em Brasília com o presidente nacional da sigla, Carlos Siqueira, que comunicou o acordo que dá liberdade para Osmar fazer as alianças que bem entender.

Siqueira informou a comitiva paranaense – formada pelos deputados federais Leopoldo Meyer e Luciano Ducci, bem como o estadual Luiz Claudio Romanelli e o presidente da legenda no estado Severino Araújo. A liberdade de Osmar no PSB consistiria, inclusive, em aliança com o senador Roberto Requião (MDB).

“Águas passadas não movem moinhos”, teria respondido Siqueira a dirigente do PSB no Paraná, Severino Araújo, que levantou uma “questão de ordem” ao lembrar da atuação de Requião na CPI do Precatório (em 1997, o senador citou o ex-governador Pernambuco Miguel Arraes no relatório final). “Ninguém mais do que eu zelo pela memória de Arraes”, completou o presidente nacional do partido.

O Blog do Esmael apurou ainda que Siqueira e Osmar trabalham por uma composição fora do campo do governador Beto Richa (PSDB), que deverá concorrer ao Senado. Ambos, Osmar e Siqueira, entendem que o tucano já tem dois pré-candidatos ao Palácio Iguaçu – Cida Borghettii (PP) e Ratinho Junior (PSD).

Portanto, Osmar Dias deverá desembarcar mesmo do PDT. Ele alega que na agremiação brizolista ele não tem a liberdade que o PSB que lhe oferece. Além disso, nas hostes socialistas, analisa, teria maior força para barganhar com o próprio Requião.

Nesse cenário, de Osmar longe de Richa e filiado no PSB, cogita-se o nome do deputado federal João Arruda (MDB), sobrinho de Requião, na vice.