ALEP suspende sessão de abertura dos trabalhos devido protesto de professores

A Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP) suspendeu a sessão de início dos trabalhadores legislativos de 2018, nesta segunda-feira (5), devido protesto de professores que lotaram uma das galerias da Casa. Eles entoaram “Quadro Negro! Quadro Negro! Quadro Negro!” no momento em que o chefe da Casa Civil, deputado Valdir Rossoni (PSDB), falava em nome do governador Beto Richa (PSDB).

O governador Beto Richa não estava com disposição de enfrentar a fúria de educadores que ele mandou surrar em 2015; deu calote em reajustes; reduziu salários dos professores PSS; confiscou a poupança previdenciária de todos os servidores estaduais. Rossoni foi à sessão representar o chefe, mas acabou saindo chamuscado.

Após a suspensão da abertura da sessão na ALEP, os funcionários públicos, em sua maioria educadores, marcharam até o Palácio Iguaçu. Eles carregam um “Richuleco”, boneco de Richa fantasiado de presidiário. No local, havia cinco policiais para cada manifestante. O medo é que o povo volte a ocupar o prédio, como no final do ano passado.

A pauta de professores, funcionários de escolas e demais servidores públicos é ampla porque é contra o retrocesso em todas as áreas. Beto Richa é um cancro que precisa ser extirpado nas urnas.

Assista ao vídeo:

Comentários encerrados.