Sem Lula na disputa, PSDB pode importar marqueteiro do presidente da França

Os tucanos apostam todas as fichas numa disputa presidencial sem a presença de Luiz Inácio Lula da Silva. Por acreditarem que será uma eleição dos “meios” e não dos “extremos”, o PSDB paulista consulta Guillaume Liegey, marqueteiro de Emmanuel Macron, eleito em maio de 2017 graças a apatia dos franceses com a política.

Segundo a colunista Sonia Racy, do Estadão, o marqueteiro do presidente francês está no Brasil para tentar fechar contrato de trabalho na campanha presidencial. Liegey esteve ontem (29) no escritório do deputado Ricardo Tripoli, líder do PSDB na Câmara.

Na verdade, a eleição do prefeito de São Paulo João Doria (PSDB), em 2016, já foi reflexo dessa apatia do eleitorado. A fórmula nem de direita nem de esquerda, se repetida na disputa presidencial deste ano no Brasil, em tempos de golpe de Estado, seria um tiro pela culatra dos tucanos.

Nem vale a pena dizer que Macron, tal qual seu genérico de São Paulo, vê sua popularidade despencar dia após dia no França.

Além disso, é bom frisar, Lula não está fora do baralho como pensam os tucanos. Sendo candidato, estando inelegível ou mesmo preso, o ex-presidente tem capacidade de influenciar a alma dos brasileiros.

Comentários encerrados.