Requião: “Lula foi submetido a uma inquisição medieval; faltou o braseiro no TF4”

Publicado em 26 janeiro, 2018
Compartilhe agora!

O senador Roberto Requião (MDB-PR) afirmou em vídeo publicado nesta sexta-feira (26) que o caso do tríplex contra o ex-presidente Lula “não deveria ter caído nas mãos do juiz Sérgio Moro” porque não tinha nada a ver com a Petrobras. “Não há prova material. O apartamento estava no nome da OAS”, disse. Para o emedebista, não havia defesa possível nesse processo julgado pelo TRF4. “Era uma acusação inquisitorial. Uma coisa medieval”, disparou.

“O réu, na idade média, era submetido ao Ordálio. Primeiro tinha de andar descalço no braseiro, se não queimasse os pés se livrava da pena. Ou segurar com as mãos um ferro vermelho em brasa, se não queimasse as mãos estava livre da acusação”, explicou.

Segundo Requião, o judiciário brasileiro está se submetendo ao ridículo nacional e internacional. “Eles estão submetidos ao capital. Eles preservam Michel Temer enquanto interessa aos especuladores.”

O senador disse que juízes se transformaram em atores de Globo, que participam de conferências remuneradas no Brasil e no exterior.

“Lula teve erros, mas também teve muitos acertos. Era a única possibilidade de os trabalhadores ter ascensão salarial”, analisou.

De acordo com Requião, a saída jurídica para Lula seria sair descalço no braseiro. “É a volta do processo inquisitorial no Brasil.”

“Sete horas antes a TV Bandeirantes já sabia o resultado”, criticou.

Para o senador Roberto Requião, a candidatura de Lula é a possibilidade de por fim ao acordo com a banca financeira que escraviza os trabalhadores brasileiros. “Não tem partido, não tem preferência de pessoas, mas há conluio com a mídia.”

“Os grandes meios de comunicação não se constituem em órgãos de imprensa cujo objeto é a noticia. Eles são conglomerados econômicos que compõem o complexo financeiro empresarial que comanda o poder.”

Assista ao vídeo:

Compartilhe agora!

Comments are closed.