PSDB exige que Geraldo Alckmin “dobre a meta” nas pesquisas até início de abril

O tempo é o senhor da razão. O PSDB impõe a Geraldo Alckmin a necessidade de “dobrar a meta” até abril próximo, quando o quadro político começa se desenrolar. O partido exige que o governador de São Paulo saia dos 5% e atinja ao menos 10% nas pesquisas, sob pena de ser abandonado e substituído na corrida presidencial deste ano.

Por ironia da história, em 2015, era Dilma Rousseff quem falava em “dobrar a meta” sobre o Pronatec Aprendiz. “Não vamos colocar meta. Vamos deixar a meta aberta, mas, quando atingirmos a meta, vamos dobrar a meta”, propunha a presidenta eleita.

Na época, Dilma tentava explicar a exitosa política do pleno emprego em seu governo e nas duas gestões do ex-presidente Lula.

Agora é o PSDB que exige que Alckmin “dobre a meta” no início da eleição deste ano, qual seja, os tucanos poderiam assim dizer: ‘Não vamos colocar meta. Vamos deixar a meta aberta, mas, quando atingirmos a meta, vamos dobrar a meta’.

Reportagem do jornalista Igor Gielow, na Folha, deste domingo (7), lembra que Alckmin não ultrapassou os 8% nas pesquisas, ficando atrás de Lula, Bolsonaro, Marina Silva e Ciro Gomes. A meta estipulada pela cúpula tucana ao governador é mais que dobrar a meta, entre 10% e 15% em três meses.

Comentários encerrados.