O espetáculo do TRF-4 será televisionado

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região, o TRF-4, de Porto Alegre, não foge à regra das demais cortes nesses tempos de golpe de Estado: é fortemente amparado pelo exibicionismo midiático. Ato reflexo deste momento será o julgamento do ex-presidente Lula, na próxima quarta-feira (24), cuja sessão será “televisionada” e transmitida pelo Youtube.

Os vaidosos desembargadores do TRF-4 são adulados diariamente pela mídia como “juízes durões” e não é incomum que eles sejam comparados com o “frouxo” Sérgio Moro que “só” condenou Lula a 9 anos e meio de prisão, blá, blá, blá.

Quando um magistrado cumpre a Constituição — a exemplo da Luciana Corrêa Tôrres de Oliveira, do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, que penhorou o tríplex da OAS — a própria mídia se encarrega de bombardeá-lo até que o mesmo volte atrás ou reverbere a opinião que interessa à disputa de poder em curso.

A Globo se encarrega de fazer a assessoria de imprensa do TRF-4. Fake news (notícia falsa) ou não, a emissora se encarrega de falar pelo tribunal nesses dias que antecede o espetáculo.

Sobre a vaidade

A vaidade é um dos 7 pecados capitais. Machado de Assis costuma dizer que “a vaidade é um princípio de corrupção.”

Para Santo Tomás de Aquino, a vaidade ou a soberba — como também era conhecida — era um pecado tão grandioso que deveria ser tratado em separado do resto e merecendo uma atenção especial. A Igreja Católica decidiu unir a vaidade à soberba, acreditando que neles havia um mesmo componente de vanglória, devendo ser então estudados e tratados conjuntamente. Do latim superbia, vanitas.

Comentários encerrados.