Maduro aumenta em 40% salário mínimo na Venezuela. Já Temer… apenas 1,8%

Michel Temer perde em todos os quesitos para qualquer líder mundial. É o último em popularidade. Mas ganha disparado quando o assunto é ferrar os trabalhadores. Vide o reajuste miserável de 1,8% no salário mínimo que entrou em vigor hoje (1º), com viés de baixa. A título de comparação, na Venezuela, Nicolás Maduro anunciou aumento de 40% no salário mínimo.

A mensagem de fim de ano de Maduro trouxe a boa notícia, além dos trabalhadores, para aposentados e pensionistas.

A estrutura de aumento nos salários e aposentadorias segue — grosso modo — o mesmo padrão adotado por Portugal.

O país europeu se reestruturou economicamente estimulando o consumo por meio da massa salarial. Ou seja, o aumento do poder de compra do trabalhador foi a solução encontrada para o desenvolvimento o seu desenvolvimento. Diferentemente da escravização pretendida por Michel Temer com o achatamento dos salários, sua reforma trabalhista e o fim da aposentadoria com a reforma da previdência.

Durante o ano de 2017, Maduro concedeu seis aumentos salariais para fazer frente à “guerra econômica” e garantir o poder de compra dos trabalhadores e aposentados naquele país caribenho.

Nicolás Mauduro aumentou 20 vezes o salário mínimo de um total de 42 vezes na Revolução Bolivariana.

Com informações são da Agência Venezuela de Notícias.

Comentários encerrados.