Macri, o Temer da Argentina, fechou 2017 despencando 20,3% na confiança do eleitorado

A Universidade Di Tella divulgou pesquisa nacional sobre o grau de confiança dos argentinos em relação ao governo Mauricio Macri, uma espécie de Michel Temer de los hermanos. Segundo o jornal portenho Página 12, a confiança no governo Macri despencou 20,3% somente no mês de dezembro de 2017.

Dentre os motivos da queda na confiança, elencados pela sondagem, estão o desaparecimento do submarino ARA San Juan, o assassinato do jovem Rafael Nahuel durante repressão à manifestação contra reformas trabalhista e previdenciária.

As pautas neoliberais na Argentina e no Brasil estão muito sincronizadas, portanto. Até mesmo a tentativa de os conservadores argentinos criminalizar a oposição e sua líder maior, recém-eleita senadora, a ex-presidenta Cristina Kirchner, que é alvo de uma cópia da lava jato brasileira.

Na Argentina, tenta-se fazer de Cristina um Lula, criminalizando-a; e de Macri um Temer, pelas semelhanças do entreguismo e dos ataques aos direitos dos trabalhadores. Um show de horrores.

Comentários encerrados.