Alex Canziani diz “sim” para Temer, mas aceita “só até abril” ser ministro do Trabalho

O deputado Alex Canziani (PTB-PR) confirmou que foi sondado por Michel Temer para assumir o Ministério do Trabalho, caso o STF mantenha o veto à também deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ). Mas, segundo o site NPdiário, o parlamentar impõe uma única condição: ficar no governo “apenas até o início do mês de abril.”

Canziani pretende disputar a reeleição para a Câmara. Se for nomeado para o Ministério do Trabalho terá que se desincompatibilizar do cargo para concorrer em outubro. É o que determina a legislação eleitoral.

O deputado do PTB paranaense afirmou ao NPdiário que “para qualquer homem público, é uma honra ser ministro, mas seria por pouco tempo”.

Na prática, Canziani disse “não” a Michel Temer dizendo elegantemente “sim” ao convite para assumir o Ministério do Trabalho. Ou seja, dificilmente será “ministro tampão” por apenas dois meses.

Na semana passada, o Blog do Esmael revelou que o nome do deputado Alex Canziani, cuja base eleitoral é no Norte Pioneiro do Paraná, é o “plano B” do PTB para o Ministério do Trabalho. A legenda não abre mão da indicação.

O Palácio do Planalto também não abre mão dos 16 votos da bancada do PTB para a reforma da previdência. O bloco que a agremiação forma com PROS, PSL e PRP tem 26 deputados.

Enquanto isso, o desemprego continua e o Ministério do Trabalho mantém-se acéfalo.

Comentários encerrados.