Por Esmael Morais

Globo acusa Bolsonaro de nepotismo, após promessa de ‘cortar a grana’ da emissora

Publicado em 03/12/2017

Segundo o jornalão dos Marinho, Bolsonaro empregou ex-mulher, ex-cunhada e ex-sogro no Legislativo. A publicação ainda insinua que o presidenciável tem ou manteve funcionários fantasmas em seu gabinete parlamentar.

“Embora esteja lotada no gabinete de Flávio [Bolsonaro] na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), ela não trabalha no local”, diz a matéria sobre Ana Cristina Valle, ex de Bolsonaro e mãe de Jair Renan.

“O GLOBO a procurou duas vezes no gabinete nos últimos dias, e os funcionários disseram desconhecê-la. A ex-mulher de Bolsonaro, Ana Cristina, alegou que a irmã, assim como o pai, sempre trabalhou em Resende, uma das bases eleitorais de Bolsonaro. O trabalho de assessores nas bases dos parlamentares é permitido.”

Entretanto, o próprio O Globo confessa ser uma fake news: “Apesar dos quase 20 anos de nomeações, os casos não podem ser tecnicamente enquadrados como nepotismo. A contratação de parentes foi normatizada por uma súmula do Supremo Tribunal Federal, em 2008. Os casos da família Bolsonaro ocorreram antes disso.”

Neste fim de semana, Bolsonaro disse em vídeo que vai cortar a grana da Globo se for eleito.

“Vocês aí têm uma audiência de 40%, do ‘Globo’. Mas pegam 80% da propaganda oficial do governo, que em grande parte, sustenta a mídia. Se eu chegar lá, vou fazer justiça, vão perder metade disso, vão ganhar só 40%”, prometeu o deputado.

“Façam matéria pesada sim, bastante, contra mim. Que se eu chegar, não vou perseguir vocês. Vou pagar pra vocês o que vocês merecem”.

A denúncia contra o presidenciável repercutiu nas redes sociais. O ator José de Abreu foi dos que abriu fogo: Bolsonaro ‘sempre mamou nos seios da Pátria’ mãe Brasil.

LEIA TAMBÉM:

Recado do Datafolha para Bolsonaro: ‘é melhor JAIR acostumando com o segundo lugar’